A Freguesia de Rio de Loba

“Uma cria de loba, que se separou dos seus progenitores, seguiu o leito do rio e veio dar a este local. Uma senhora, que ali lavava a roupa, recolheu a lobinha, levou-a para casa, amamentou-a e criou-a. Quando a senhora morreu, a loba desapareceu e o nome de Rio de Loba ficou”.

Rio de Loba é uma freguesia do concelho de Viseu, com 15,74km2 de área e aproximadamente 9500 habitantes. A freguesia de Rio de Loba é composta pelas localidades de Barbeita, Caçador, Povoa de Sobrinhos, Rio de Loba, Travassós de Cima e Travassós de Baixo.

Integrada dentro dos limites da cidade de Viseu a freguesia é uma das mais populosas e ativas freguesias do concelho. O seu nome deriva do ribeiro que a banha e vai desaguar no rio Paiva, associada a nome de pessoa influente no passado Lopa ou Loba.

Rio de Loba tinha excelentes argumentos para atrair os povoadores primitivos, cujos vestígios podem ser observados, por exemplo, no Vale Malmatar das Fachas sob a forma de uma anta. Supõe-se, igualmente, que Rio de Loba terá vivenciado a presença de Romanos, pois aceita-se que a freguesia terá construído uma “villa” muralhada pelos senhores da Península nos primeiros séculos da era cristã. “Villa” que teria mudado de mãos ao longo dos séculos decorridos após as invasões suevas e visigodas e, mais tarde, as dos árabes e depois a Reconquista dos descendentes dos visigodas cristianizados do que os mouros haviam conquistado. No século IX, o território estava nas mãos de presores nomeados pelos reis asturianos chegados nas levas da Reconquista. Nos séculos XII e XIII pertencia à paróquia da Sé de Viseu, como “terras suas”, ao mesmo tempo que era honra de família nobre (doma Esmeralda, 1258), que dos seus habitantes recebia foros, pelo que a Coroa nada retirava destas terras.

Atualmente, a freguesia assume-se como uma das mais importantes do seu concelho, principalmente pelo número dos seus habitantes que tem vindo a crescer nos últimos anos. Mantendo ainda uma componente rural e agrícola, que ocupa cerca de 20% da população, regista-se a laboração na sua área de indústrias de metalomecânico, construção de artefactos de cimento, transformação de madeiras, têxteis, transformação de mármores e construção civil, além de oficinas de reparação automóvel, conseguindo mesmo atrair investimentos para algumas destas indústrias.

No que se refere a estruturas desportivas, Rio de Loba dispõe de campos de jogos, de ténis, centro de equitação.

Os serviços e comércio destacam-se também pelo seu dinamismo, salientando-se a importância da indústria hoteleira, pois que a freguesia dispõe, por exemplo, de hotéis e residenciais, além de casas de turismo em espaço rural.

Os estabelecimentos comerciais acompanham o dinamismo dos outros sectores, oferecendo à população uma panóplia alargada de produtos, desde a alimentação aos móveis e calçado, dos eletrodomésticos aos materiais de construção e ferramentas suprindo todas as necessidades das gentes. Diga-se ainda que, como a pecuária desempenha um importante papel na obtenção de rendimentos por parte dos seus habitantes, em Rio de Loba realiza-se, em todas as terças feiras, uma feira do gado.

Devido à proximidade a uma zona urbana em crescimento como Viseu, Rio de Loba não sofre de falta de vias de comunicação que a liguem aos mais variados pontos do concelho e região.

Dispondo de estruturas para albergar visitantes, Rio de Loba oferece aos olhos de quem aqui chegar a beleza arquitetónica da igreja matriz e das capelas, assim como a emoção de “olhar” o passado na anta do Vale de Fachas, no Penedo da Loba e na Quinta do Viso.